INTERCONF 2016, o maior evento de pecuária intensiva do País

inerconf

9ª edição do maior evento de pecuária intensiva do País reuniu elos da cadeia produtiva e reforçou as necessidades e desejos do consumidor atual por carne

A 9ª Interconf – Conferência Internacional de Pecuaristas, realizada em Goiânia (GO), também abriu espaço para casos de sucesso envolvendo a cadeia da produção ao desejo do consumidor, apresentando suas exigências e necessidades em termos de carne bovina (preço, qualidade e disponibilidade), além de entender a dinâmica do mercado mundial de carne.

Em três dias, a 9ª Interconf reuniu mais de 1.100 participantes – pecuaristas, empresários, indústrias, técnicos, consultores, estudantes e representantes de todos os elos da cadeia produtiva da carne bovina, vindos de todas as regiões do Brasil e também de uma dezena de países. Além disso, mais de 400 produtores e técnicos participaram do Encontro da Pecuária Eficiente, evento Pré-Interconf, que teve como tema a fase de cria.

Para Márcio Caparroz, diretor institucional da Assocon, o grande mérito da Interconf foi discutir temas relevantes, incluindo a visão do consumidor, da indústria e do varejo, perspectivas de melhoria da produção e conquista de novos mercados, além de painéis de gestão, aumentando a interação com o público. “Valorizamos a troca de informações e criamos condições para que as empresas pudessem se relacionar com os participantes. Todos gostaram dessa dinâmica. O último dia, apresentando estudos de casos de sucesso também foi positivo, pois deu espaço para projetos que mostram conquistas importantes”, destaca Caparroz.

14445976_1105823919454820_923665903889881154_n
“A união dos vários elos da cadeia da pecuária de corte é o caminho para a atividade avançar em produtividade, eficiência e gestão, se fortalecendo no mercado interno e ampliando sua presença no cenário internacional”, ressalta Alberto Pessina, empossado como o novo presidente do Conselho de Administração da Assocon (Associação Nacional de Pecuária Intensiva).

Programação diversificada – Um dos destaques da 9ª Interconf foi a apresentação da professora doutora Marcia Dutra de Barcellos, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). “Os consumidores evoluíram muito nos últimos anos graças, especialmente, ao acesso à internet, ao fluxo contínuo de informações digitais e à maior conectividade entre as pessoas. As exigências por qualidade são cada vez maiores e a cadeia da carne precisa estar preparada para isso. Já temos no país sistemas inteligentes de monitoramento da produção e identificação dos animais e a tendência é que isso chegue às gôndolas”, reforçou Marcia Barcellos.

Alcides Torres, diretor da Scot Consultoria, abordou as oportunidades de venda de carne para diversos mercados. “O Brasil produz ao redor de 9,5 milhões de toneladas de carne bovina por ano, sendo 3,7 milhões de toneladas de cortes dianteiros; 4,6 milhões de toneladas de cortes traseiros e 1,23 milhão de tonelada de ponta de agulha. A questão é: como comercializar esses volumes da melhor maneira possível com rentabilidade e diversificação”.

A economista Zeina Latif, da XP Investimentos, fez palestra sobre o cenário econômico. Ela afirmou que “o mercado doméstico é que vai nos salvar”. Para Zeina, a situação econômica brasileira é tão grave que não dá para depender do crescimento das exportações para a retomada. “Estamos falando de um mercado de mais de 200 milhões de consumidores. Porém, não se pode esquecer que são mais de 12 milhões de desempregados nesse momento. A recuperação da confiança dos brasileiros é o primeiro passo efetivo para uma onda positiva na economia”, entende a especialista.

Outro destaque da 9ª Interconf foi o painel que tratou da estratégia da Austrália e o que o país tem a ensinar à cadeia da carne bovina brasileira, apresentado por Matthew George, diretor Bovine Dinamics Consulting. A Austrália é o terceiro maior exportador mundial de carne bovina, atrás do Brasil (líder) e dos Estados Unidos. Além dessa importante presença no comércio internacional, aquele país tem sua imagem associada à carne de qualidade. Internamente, faz um excelente trabalho de congregação dos pecuaristas, indústria e varejo. “Acho que nosso maior mérito é entender as expectativas dos nossos clientes e nos estruturar internamente para fornecer os produtores que os importadores desejam”.

Fortalecimento da carne brasileira – Fernando Saltão, CEO da Associação Nacional dos Pecuaristas (Assocon), fechou a 9ª Interconf com um balanço das atividades da entidade, cujo foco é a valorização da carne brasileira tanto no mercado interno quando no comércio internacional. Uma das lutas da Assocon é a abertura de mercado. O desafio da vez é fazer o Brasil participar da Cota 481, da União Europeia.

“Aguardamos para as próximas semanas resposta da UE ao nosso pleito. A Cota 481 é uma excepcional oportunidade para a carne brasileira, já que possibilita a exportação de praticamente todos os cortes e partes do boi sem taxação. A título de comparação, a Cota Hilton exige pagamento de 20% de taxa para entrada na Europa”, explica o CEO da Assocon.

Juliana Villa Real
TEXTO COMUNICAÇÃO CORPORATIVA
Contato: (+55) 11 3039-4100 | (+55) 11- 999.100.111
Skype: juliana.texto1