É do vermelho que elas gostam mais

4 - VERA REICH

Vera Reich, titular da CMI Senepol

 

O “sexo frágil” está tomando conta de um espaço dominado, até então, pelos homens. As “Mulheres do Senepol” sabem muito bem como é cuidar dos negócios e da família. O grupo, que reúne criadoras da raça, está ganhando força e destaque em nível nacional. O objetivo é levar conhecimento técnico e divulgar o trabalho das Mulheres do Senepol. “Sempre tínhamos contato pelas redes sociais e decidimos realizar os encontros presenciais para dar a oportunidade de mais mulheres conhecerem a raça e também de nos capacitarmos tecnicamente. A partir de então, os encontros passaram a ter momentos técnicos, com o envolvimento de profissionais, entre esses, palestrantes convidados que abordam temas de interesse comum”, explica a pecuarista Rubia Pereira Barra, do Senepol Constelação.

 

2016-09-05 12.37.45

 

Segundo Rubia, o número de mulheres interessadas pela pecuária vem crescendo, e, no caso do Senepol, as características da raça são fatores preponderantes para esse aumento. “A docilidade dos animais foi o que me levou ao curral. Mas, não ficamos só nisso. Em conjunto com o marido e os filhos, trabalhamos para promover o melhoramento genético dos animais, um manejo adequado aos bezerros, sanidade, índices que geram maior impacto nos resultados e, por aí vai. Somos organizadas e temos a sensibilidade de vermos as coisas que muitas vezes passariam despercebidas no mundo masculino. Estamos aqui para somar”, destaca.

As Mulheres do Senepol vem realizando encontros em exposições, dentre elas as de Barretos/SP, Campo Grande/MS e Uberlândia/MG. Segundo Rúbia, o próximo encontro, com data ainda a ser definida, promete inserir também toda a família. “Estamos observando que as senepoleiras comparecem aos nossos encontros cada vez mais. Normalmente, aproveitamos os grandes eventos da raça para nos reunirmos e, assim, é possível o envolvimento de toda a família”, disse.

Uma das integrantes do grupo “Mulheres do Senepol”, a criadora Vera Reich, é uma das principais referências da raça que está crescendo em todo o país. A titular da CMI Senepol foi um dos destaques da nova edição da Revista Senepol.

Dona de casa, mãe, empresária e criadora de Senepol, ela conta que o seu envolvimento com a raça começou há 14 anos, quando seu marido decidiu introduzir no plantel uma nova raça com a proposta de fazer cruzamento industrial. A cor vermelha e a docilidade dos animais a encantaram e a paixão foi inevitável.

Foi uma escolha correta, acreditamos e investimos na raça, buscando sempre genética de ponta no berço do Senepol e, assim, nos tornamos um criatório referência da raça no País”, contou.

Atualmente, Vera Reich, atua no Conselho Técnico Deliberativo da ABCB Senepol. Considerada a primeira mulher a participar diretamente da criação a campo, ela diz que a facilidade de manejo e a docilidade do Senepol estão atraindo cada vez mais, mulheres para o campo. “Dizem que nós mulheres somos possuidoras do sexto sentido. A sensibilidade feminina é um dom que temos e que deve ser aproveitado para o crescimento da raça”, destaca Vera durante entrevista à Revista Senepol.